quarta-feira, 20 de abril de 2011

reza




reza lenta escrita à faca que sua pele inflama


#

3 comentários:

A wild Garden disse...

Profundo como a imagem!

Danilo Castro disse...

Linda a foto.

Velharia disse...

Você tem o Dom! amigo. já vi tantos poemas seus. Cada um é de um jeito. Você já os fez de tão diversas formas que lê-los é como entrar numa enorme biblioteca. É como se você parisse uma cidade inteira. Cada poema é uma pessoa, cada pessoa diferente. Sempre feliz contigo, sempre otimo te ver escrever.