quarta-feira, 26 de setembro de 2007

sambinha do astronauta





Nas fornalhas do sol, um astronauta sem pátria
desenrolando fios de aço no braço
desenvolve uma dança


Cantando para a humanidade incendiada
passos no espaço, um “fox-trot” hi-tech
desencadeia um novo caos no universo


Estrelas suadas, de repente, sambam um ritmo estranho
e um bando de meteoros à sua frente,
lhes oferecem anéis


Mas um planeta imóvel, estático
destoa das constelações reluzentes

_ Eu não sei dançar... eu não sei dançar.

Se desculpou depois, dizendo serem os sapatos a lhe incomodar

3 comentários:

Alan disse...

Imaginação poética e bonita.

Gostei

Elizangela disse...

Olha achei seu blog tudo de bom !! adorei Times New Romam ... parabéns pela criatividade !!!ñ sabia q era um poeta !!adorei a surpresa !!!

roberta catarina disse...

essa foi massa

viajou pelo espaço

ehhehehe

curti